O dia que o Twitter parou

Posted in textos on March 24th, 2011 by D. Vespa

O Twitter está fora.

Pessoas correm pelas ruas, mães abraçam seus filhos e muitos estão caminhando com olhar vazio, desorientados. Muitos choram a falta de informação – “o que nós faremos sem onde postar? Como expressar o que estou pensando sem o Twitter?”.

Em poucas horas milhares de pessoas começam a sofrer de insuficiência de egolatria, perdendo, aos poucos, sua capacidade de falar devido a inundação de pensamentos represados, afinal, sem o Twitter, elas não tem como dar vazão a eles. No periodo de um dia, a coordenação motora começa a ser afetada também: dedos tentam digitar no vazio, movimentos atáxicos gerados pela deficiência de twitter no seu dia.

Quase um dia depois do apagão do Twitter, os antes quase catatônicos começar a recuperar sua capacidade de fala – mas não a sua capacidade de ordenar pensamentos. Frases de 140 caracteres sem sentido começam a ser gritadas pelos abstinentes em todos os lugares. Alguns ainda acariciam seus iPhones, quase psicóticos, sem querer aceitar a realidade que não há mais vida naquele corpo de texto. Todos os memes foram esquecidos.

Pessoas começam a morrer de fome pelas ruas pois, sem Twitter, muitas jamais souberam que era hora do almoço. Pessoas são pegas desprevenidas por tempestades pois não são mais informadas via feed que está chovendo – outras, mais adaptadas a nova realidade, conseguem evitar estas tormentas voltando aos hábitos de nossos ancestrais: olham pela janela antes de sair e re-descobrem, surpresos, que aquele incomodo no estômago significa fome.

Muitos se suicidam por conta do sentimento de vazio.  Que fazer num mundo sem Twitter? Sequer se pode reclamar via Twitter que não se tem mais onde twittar. Os que conseguiram resistir, tiveram que arrumar outras alternativas para continuar suas vidas. Muitos  chegaram até mesmo ao extremo de voltar a trabalhar ao invés de enrolar na internet.

No terceiro dia menos de 100.000 pessoas ainda permanecem vivas e conectadas. Elas descobriram que são imunes à falta de Twitter, seus organismos são adaptados para suprir a falta de egolatria por outras emoções e sentimentos e, estes poucos bravos, são os que retomarão os rumos do mundo e reconstruirão a nossa sociedade.

Quem diria que o vício em World of Warcraft garantiria a sobrevivência destes à falta de Twitter? Resta agora somente a esperança de que, um dia, estes seres desliguem-se um pouco dos jogos e tentem, ao menos uma vez em suas vidas, reproduzir para garantir a continuidade da espécie humana.

Até que isso aconteça, tudo que podemos experimentar é a incerteza…

Posts Relacionados:

Tags: , , ,

Bug Fix para Facebook

Posted in textos on January 3rd, 2011 by D. Vespa

Como comentei no Twitter, no Facebook por vezes acontecem coisas bizarras como o exemplo que segue abaixo:

WHATAFUCK?!

Afim de evitar este tipo de problema que é deveras constrangedor tanto para a vítima quanto aos que tentaram consola-la, eu, junto a uma equipe de mais de 150 especialistas do MIT, desevolvemos um fix que solucionará todos os problemas de má interpretação no Facebook, atualmente em fase de homologalação pelo próprio Mark Zuckerberg e que deve ser implementada até o final do mês.

fix para o facebook
A equipe do Heresias.org (no caso eu) está muito orgulhosa por mais esta contribuição para melhoria da Internet.

Posts Relacionados:

Tags: , ,

Guia de Mídias Sociais para principiantes

Posted in textos on December 30th, 2010 by D. Vespa

Resolvi usar este post para ajudar as pessoas a entenderem melhor Rede Sociais, estes lugares mágicos d’onde saem milionários da noite para o dia, que rendem filmes sobre punheiteiros morféticos que roubam idéias alheias grandes visionários que, usando da falta de noção necessidade humana de socializar e compartilhar suas experiências e descobertas com os outros – tudo em tempo real.

As redes que merecem destaque nos dias de hoje são:

LEIA MAIS»

Posts Relacionados:

Tags: , , , , ,

Sobre a produção de conteúdo (ou A Internet está virando um grande RT)

Posted in observações, textos on February 12th, 2010 by D. Vespa

Eu já falei isso num post anterior e repito: acho horrível a forma como as pessoas consideram mais importante ter um blog com uma audiência nas alturas ao invés de ter um blog bom. A internet está virando um grande vácuo onde uns poucos criam ou registram alguma informação e muitos replicam-na sem critério algum, criando um ruído imenso de diversidade nenhuma, uma grande cacofônia de uma nota só.

Não consigo ver sentido em coisas como criar uma lista de “X coisas de tal assunto” e simplesmente agrupar coisas e nada mais, sem sequer dar uma visão pessoal ou produzir algo em cima daquilo. Pior, fazer isso e ainda ter por objetivo ser um site/blog/twitter que sirva de referência para outros sendo mero replay do trabalho de outros.  Juntar vídeos, imagens ou frases soltas de pessoas influêntes é fácil, qualquer agregador de conteúdo capenga faz isso.

Muitos podem vir e me acusar de que o outro blog do qual participo também é assuntos que, por vezes, já forma exaustivamente discutidos na internet – mas nesse caso eu rebato:  é um assunto focado que nós, do Fronteira Final, lidamos todo dia. Cada experiência lá relatada é realmente nossa, sendo testada e vivida para só depois passar pra diante, não mero copy-paste de sites especializados. Não, não sou contra listas, só acho que elas tem que ter coerência: muitos sites bons são feitos destas forma, o autor do texto em geral apresenta-as para justificar algum produto que usou a dita lista como referência ou, melhor, explica a semântica/semiótica e todos por ques daquilo ter assumido aquela determinada forma naquele determinado contexto, indo muito além de uma mera galeria de imagens de propósitos totalmente vazios, sendo não mais que uma encheção de linguiça talvez para manter audiência, talvez para parecer uma pessoa de cultura para outros.

Não descarto também que existam blogs que desde o começo tem essa característica de “garimpeiros”, e que são deveras úteis como repositório de informação – mas se estes já existem, por que não contribuir com eles ao invés de criar mais um gerador de eco? Ainda por cima se for um gerador de eco destes geradores de eco?  Se realmente quer compartilhar isso no seu blog, bacana, faça-o, mas pra que replicar o material no site se você pode simplesmente passar o link para a pessoa conferir o material direto na fonte?

Acredito que uma vez que se assume a séria posição de produtor de conteúdo, se você não prezar pela qualidade do produzido em prol da audência, cai na mesma situação tão criticada por todos em relação à TV, que produz programas mediocres apenas para dar circo ao cidadão mediano – e nada mais além disso.

Só um desabafo.

Posts Relacionados:

Tags: , ,

Neuras, manias, internetices e contradições pós-modernas.

Posted in observações on December 7th, 2009 by D. Vespa
  • Você acorda, vai pro escritório e abre sua caixa postal. Nenhum e-mail novo, sequer um spam. Curiosamente você sente um vazio interior e até um pouco de decepção. Carência virtual.
  • O Twitter sai do ar e sua primeira reação é querer postar NO TWITTER que o Twitter baleiou.
  • Paulistano (e habitantes de outras cidades também, mas aqui eu acho que é mais crônico) passa todo dia por lugares diversos da cidade coberto de grafites, alguns fantásticos outros exdrúxulos. Mas só vai parar pra prestar atenção e achar lindo quando os caras enfiam todos esses trabalhos numa exposição chique na V. Madalena (estejam os desenhos em qualquer uma das categorias)
  • Falta luz e o cidadão quase morre de tédio.
  • Quando você percebe que já baixou todos os seriados dá semana tem um pequeno ataque de pânico. “E se eu tiver que me entreter com TV aberta, Jesus?!”
  • Você tem que abrir o Twitter a todo momento que tiver chance. Se não o fizer, existe risco de deixar alguma mensagem passar (não importa que você saiba que é quase impossível que perca algo importante).
  • A overdose de informação é tanta que você não consegue mais levar nenhuma notícia a sério. Um LOL Cat e a morte do Lombardi tem o mesmo potêncial pra piada.
  • Cai uma ponte na sua cidade e você reage com um “de novo?” ao invés de ficar revoltado com o corrupto que botou aquele bando de incompetente pra construir. Aliás, muito provavelmente a maior parte das pessoas vai votar no sujeito sem dó, convencida que é intriga de oposição (mesmo povo este que fica revoltado com o fato de tanto panaca ser enganado pelas Igrejas Universais da vida).
  • Você não só não sabe o nome do vizinho da frente como tem medo que algum dia ele venha te importunar com alguma coisa.
  • A maior parte das pessoas está mais interessada em saber se você está fazendo a sua parte e te cobrar por isso do que fazer a parte delas.
  • Muita gente se diz ateu ou não-religioso, mas abraça fanaticamente vegetarianismo, times de futebol, causas artísticas quaisquer, eco-apurrinhação (eco-chatos são os novos testemunhas de jeová) e [insira aqui a camisa idiota que quer seguir sem questionar]
  • Mais da metade das pessoas que  apóiam a lei anti-tabagismo são a favor da liberação da maconha. Particularmente eu nunca vi ninguém doido e chato por causa de cigarro, ou muito menos bater o carro por ter perdido reflexos por causa de tabaco. Cigarro dá câncer? Dá. Maconha também e, ainda por cima, estraga pra caramba o cérebro do cidadão.
  • Você reclama que as pessoas postam futilidades na internet mas não “desassina” ou critica a própria na cara dela. Vai que você perde um seguidor, né?
  • Fazemos duzentos testes diferentes na internet e dizemos que é porque é engraçado, quando na verdade levamos tão a sério que não divulgamos os resultados que não gosta.
  • Quando você tira um tempo para limpar a mente, sente culpa por não estar produzindo nada, lendo um livro, desenhando ou postando no seu blog.

Posts Relacionados:

Tags: , ,

10 dicas para o seu blog aumentar estrondosamente em acessos

Posted in internet, textos on November 19th, 2009 by D. Vespa

Como todos sabem a internet deixou de ser feitas para humanos nos últimos anos e, por volta de 78.9% dos textos escritos na Internet mundial segundo o E-Bope, são feitos únicas e exclusivamente para pescar otários no Google.

Na intenção de contribuir para que seu site tenha uma massa imensa de acessos de goiabas que abrirão o seu site por e o fecharão em dois segundos, segue uma série de dicas (separadas em 10 porque agora é moda este tipo de post. Tem uns que reunem 50 coisas aleatórias, mas ó a minha cara de quem tem paciência pra isso) para a sua página “bombar” na internet! Entupa você também a rede de lixo e ecos mal-escritos!

1-Selecione palavras chave e encaixe-as no texto a todo custo

Selecione 10 palavras chaves que tenham a ver com o assunto que você vai escrever e repita-as a exaustão. E daí que o texto ficará horrível e todo torto? Uma multidão de neo-incluso-digitais abordará sua página até que o servidor faça bico de tanto acesso! Se possível, enfie algumas fotos de mulher nua também pra pegar os neo-incluso-digitais que já aprenderam a usar o Google Images.

2-Escreva posts com 10, 20, 30 dicas sobre qualquer coisa

O buscador usa o seu conteúdo para ganhar dinheiro? Dê o troco! Vá no buscador, procure sobre o assunto, faça um Frankenstein com os 10 ou 15 primeiros resultados e ganhe acessos mil. Sexo, drogas (afinal essa será a qualidade do seu texto) e Copy’n’Paste, mermão. Seu Analytics vai ficar tão lindo que você até vai chamar sua avó pra ver.

Ah sim, não esqueça: mulher pelada.

3-Comente em blogs alheios similares única e exclusivamente pra deixar o link lá

E daí que você entrou no blog do cara pra copiar conteúdo? Aumente sua relevância para o todo-poderoso buscador deixando o seu link lá, onde será indexado e subirá o teu ranking perante os outros. Se quiser, tem alguns templates que você pode usar pra ter que pensar ainda menos pra fazer isso:

  • Texto Daora!
  • Noooooossa, que fófis.
  • Legal seu blog. Me Add? (esse serve pra Flog também)
  • kahakahkahakahakhakaakah xou!!

Mas claro, você é livre pra inventar quantos quiser. E sempre lembrando, post sim, post não, mulher pelada.

4-Seja cool, apesar das mulheres peladas

– “Mas sr. Vespa, eu não quero por mulher pelada, é muito vulgar”

– “Sr. Vespa, eu sou menina e não quero por isso no meu blog porque vai chocar minhas amigas”

Calma, calma… Isso tem solução. Se você quiser parecer cool, pop e descolado para meninos, meninas e outros você pode usar uma fórmula bem simples: vários blogs falaram de arte erótica com propriedade, muitos realmente pela apreciação plástica da mesma (apesar da apreciação punhética da coisa também ser válida e por vezes predominante sim, acredite, existe a plástica também). Coloque meninas vestidas de pin up, mas não precisa prezar pela qualidade: pode ser aquela pin up cosplay mesmo, que você fotografou em alguma Animecon, Anime-Emo, etc da vida. As vezes nem é uma pin up mesmo, é uma personagem perva de anime… Mas se você disser que é muita gente acredita. Entre uma e outra, jogue uma mais ousada (a.k.a. posição ginecológica) e, pra equilibrar, jogue umas Suicide Girls e pronto: você é promovido de pornógrafo para “apreciador cult de arte corporal”.

Nota: escreva também alguns Hai Kais e estrofes desconexas entre uma “post chavasca” e outro, aumenta o nível de “cultice” do blog.

5-Defenda qualquer asneira do twitter com unhas e dentes – ou não

Temos aqui caminhos fáceis. Pegue trend topics no Twitter ou qualquer tema que tenha assumido condições virulentas e faça um post indignado, não importa se pro bem ou pro mal. Fale da saia da Geyse, do #ForaSarney, de alguma besteira dita por algum CQC ou do humorista (?!) Zina e seu aspirador de pó. Vale tudo (sem esquecer a regra de ouro: putaria = acessos). Feito isso basta escolher: você pode tomar as dores e mostrar sua compaixão ou, o que eu considero mais funcional, seja contrário à maioria. Mas dê argumentos estapafúrdios, não pense em nada antes de escrever – você só quer criar polêmica e, quanto mais contraditório for, quanto mais estúpido soar (desde que escrito de maneira difícil) mais audiência terá. Seja uma espécie de Caetano Veloso no seu texto. Com sorte, você racha de tanto comentário e ganha um monte de palavras chave para o Gugol te achar.

6- Chupinhe o Youtube, o Failblog e sites engraçadinhos

Junte um monte de vídeos com Fails, Jeremias, ou uma sequência de coisas que você sequer faz idéia de onde veio e coloque no seu blog. Não esqueça de fazer comentários “sagazes” (use a regra 1 na hora de faze-los) para que o Gugol te ache. Há grande chance de você ganhar uma boa audiência vinda do Twitter também. Aqui não dá pra usar vídeo de putaria, infelizmente… As pessoas cults gostam das fotos mas os filmes, se não forem iranianos, franceses ou pelo menos em PB são automáticamente pornôs, não importa se o conteúdo é exatamente o mesmo dos anteriores citados.

7- Faça pouco da classe média

Taí, isso eu não sei porque tá na moda… Vejo “blogs around the web” falando que a classe média é medíocre, que aspira a um universo que não é dela, que só tem mesmo é que rir, etc, etc. A conclusão que eu chego é que todo mundo que eu conheço que faz isso ficou rico do dia pra noite (ou o contrário, mas como ainda eles podem pagar por banda larga eu duvido um pouco) ou não tem muita noção que medíocre todos podemos ser, independente da classe social. A mediocridade e a burrice são duas coisas que atingem com perfeição o ideal do socialismo.

Mas enfim, fale mal. Gera polêmica, comentários e te faz parecer bacana. Lembrando: use argumentos toscos mas escritos de forma bonita. Ah, e tente colocar umas empregadinhas com pouca roupa ou nenhuma no post sobre a classe média.

8- Use termos da moda mesmo que não tenha a ver com o texto

Mesma coisa que a primeira regra só que usando contexto geral da web. Foda-se que seu texto fala da morfologia das aranhas camelo, se o assunto do momento for, por exemplo, iPhone, dê um jeito de enfiar a palavra umas três vezes no texto. Eu já vi gente usar isso até mesmo em palestras, funciona que é uma beleza, mostra como você está antenado. E no caso de um blog ainda por cima atrai pencas de bananas vindas via buscador.

9- Coloque selos de todos grandes blogs do mundo na lateral e crie seu próprio

Issaê, deixa tua lateral parecendo uma lona de circo. Vai que com sorte algum desses caras de blog grande entra no seu e, retribuindo o favor, coloca o teu blog no dele também? Automaticamente o Gugol joga teu ranking lá pro alto, te puxando pela relevância do blog cujo dono teve o saco puxado por você. Já pensou quanto acesso viria do Jovem Nerd ou dos Irmãos Brain?

10- O mais importante

Tenha em mente que todas as técnicas acima funcionam MESMO, mas usa-las fazem de ti uma putinha relaxada. Lembre-se, você estará contribuindo para aumentar ainda mais o ruído na internet, fodendo a vida das pessoas que estão atrás de conteúdo relevante e gerando um número inchado e falso de leitores – quase todo mundo que cai nessa balela do texto/imagem/vídeo chamariz não fica mais do que 5 segundos no site e  não voltam nunca mais. Vale mesmo a pena criar um texto SOMENTE PRA SER ACHADO POR UMA PORRA DE BUSCADOR? Ou é melhor abrir mão de algumas coisas de vez em quando por um texto de mais qualidade?

Eu ainda acho bem mais divertido ter a mesma meia dúzia de sempre lendo as minhas pataquadas. Ser achado por buscador é efeito colateral.

Posts Relacionados:

Tags: , , ,